sábado, 1 de maio de 2010

Variação: Realidade/Sonho - Estágio 1: Fuga

Abriu os olhos, estava deitado na cama. As trevas o cercavam. Não via nem ouvia nada. Mas sentia uma presença no seu quarto. O pavor começou a subir a cabeça e, antes que tivesse tempo de raciocinar qualquer coisa, estava com o coração disparado, pulou da cama e se dirigiu até a porta. Tentava desesperadamente abri-la, mas não conseguia, por mais que tentasse. O estado de pânico estava no seu apogeu quando despertou e percebeu porque falhava. Tateou o que tinha a sua frente e confirmou, estava em frente a janela do seu quarto.
Começou a se acalmar e, no lugar de pânico, um sentimento de confusão começava a preencher sua alma. Se sentou na cama. Levou a mão até o interruptor e acendeu a luz. Olhou em torno. Estava no seu quarto, sozinho. Olhou da porta para a janela e para a porta de novo. No seu sonho, ele estava num quarto igual o seu, mas espelhado, por isso a confusão. Ao pensar isso , entendeu o ocorrido. Tinha agido num estado do sonambulismo e acordado enquanto tentava fugir. Mas fugir do que? Fugir das trevas? Fugir da solidão?
Se levantou, foi até a janela e a abriu. Olhou a distância que o separava do chão e se perguntou: "O que teria ocorrido se, durante meu sonho, eu tivesse conseguido abri-la?".

2 comentários:

  1. talvez o sonho nao acabasse..

    ResponderExcluir
  2. o sonho encontra o concreto. carne e chão. alguns choram, mas logo acostumam e retornam a si mesmos (de onde nunca saíram...). tempo e decomposição.

    ResponderExcluir